Poesias

ARPOSSA



me assopra de mansinho
como se fizesse um carinho
e passeia por todo o meu corpo
mas não estranha, sou assim mesmo torto
com os pés virados para o céu
e a cabeça arrastando como véu

me assopra intermitentemente
porque assim liberto a mente
desconecto a minha emoção
deixando livre o meu coração
para sentir todos os prazeres
sem o fardo dos meus quereres

me assopra por completo
me enchendo do chão até o teto
quero explodir por todos os lados
ver os meus pedaços misturados
e depois montar lentamente
para me despedaçar novamente


Cadastre-se para receber dicas, artigos e informações de concursos

 

 

Comentários:

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "392304" no campo.